exterior

Museu Inkariy: uma proposta diferente em Cusco

Quebrando estereótipos, o Museu Inkariy é fruto da iniciativa de um grupo de artistas e arqueólogos peruanos que decidiu apresentar ao mundo as impressionantes manifestações da cultura pré-hispânica através e uma linguagem moderna e de fácil leitura.

O que há de diferente?

Ao contrário dos museus ligados a fundações e órgãos governamentais, que normalmente privilegiam artefatos originais e ambientes austeros, o Museu Inkariy é composto inteiramente de réplicas hiper-realistas e painéis interativos com informações objetivas. É bastante inovador e pode mesmo causar estranheza ao viajante mais tradicional, mas eu achei interessantíssimo. Nunca havia visto coisa parecida!

Cada cultura é exposta através de esculturas em larga escala que recriam cenas icônicas, refletindo o biotipo do homem nativo com as vestimentas e adereços próprios de cada época. Ademais, os ambientes trabalham com jogos de luz e efeitos sonoros que dão vida aos episódios representados.

Os povos do Antigo Peru

As principais civilizações peruanas são apresentadas nas 8 salas do Inkariy.

A visita se inicia com a sala Caral, que apresenta a primeira civilização do Peru. São as evidências mais antigas  de arquitetura e organização social de que se tem notícia na região.

Em ordem cronológica, seguem-se as salas Chavín, que corresponde ao desenvolvimento das sociedades do norte do país, e Paracas, localizada ao sul. Os habilidades que mais se destacaram nestes povos foram a dominação religiosa, a cerâmica e agricultura (chavines) e a riqueza dos trabalhos têxteis e complexos funerários (paracas).

Já leu o post sobre Chavín de Huántar? Clique aqui para conhecer este incrível sítio arqueológico!

As próximas culturas apresentadas são a Mochica, Nazca, Wari, e Lambayeque-Chimú. Estavam distribuídos predominantemente ao oeste da Cordilheira dos Andes, em direção ao litoral, e foram os antecessores imediatos da maior civilização sul-americana que já existiu.

Foram os Incas os notórios responsáveis por assimilar rapidamente os conhecimentos de todas demais civilizações, convertendo-se em pouco tempo em um império que se estendeu do sul da Colômbia até o centro do Chile.

Fica a dica para quem estiver planejando uma viagem ao Vale Sagrado!

Se você gostou do post, deixe seu comentário ou compartilhe-o nas suas redes sociais. Um abração e até a próxima! 😉

Informações úteis

Como chegar: taxi ou qualquer ônibus entre as cidades de Urubamba e Pisac, no departamento de Cusco. O museu  está localizado às margens da rodovia 28B.

Custo: o ingresso custa 35 para turistas estrangeiros e 30 para peruanos.

Duração: a visita dura menos de 2h.

CompartilharShare on Facebook0Tweet about this on TwitterShare on Google+0Email this to someone

Deixe um comentário

Seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *